sábado, 18 de outubro de 2014

Derek Walcott, Amor Depois Amor

Visitando alguns sites em busca de trabalhos da poeta argentina Sandra Pien, a quem admiro muito, encontrei uma referência ao poeta caribeño Derek Walcott, cuja obra até então era desconhecida para mim.  Sandra Pien fez e publicou a tradução do poema Love After Love, um dos mais populares desse Prêmio Nobel de Literatura (1992). A obra de Derek Walcott é vasta, abrange não só poesia, mas roteiros, peças de teatro, ensaios, além dessa magnificência o poeta é também pintor, devido à sua primeira tendência artística. Me deixou surpreso o fato de que o poeta Derek Walcott seja tão pouco conhecido entre nós ou o seja a apenas alguns iniciados, como é comum. Reproduzo aqui o texto e a tradução de Sandra Pien, que tomei à liberdade de piratear, o poema Love After Love, de Derek Walcott, e uma pobre versão para o brasileiro deste que vos fala.

“Recién ahora puedo poner el poema del sábado. Es de mi querido Derek Walcott, poeta y dramaturgo caribeño, nacido en la isla de Santa Lucía, (Castries, la capital de Santa Lucía, en las Antillas menores), que fue Premio Nobel de Literatura en 1992. Primero una traducción (mía) al castellano, y luego en inglés, la lengua en la que fue escrito (fíjate qué bella musicalidad tiene). Walcott es hijo de una mujer negra y de un británico blanco. Tiene 84 años, nació el 23 de enero de 1930, el mismo día que mi padre, aunque mi viejo era del ´20. Y ese título del poema es muchísimo más anterior, de los años ´60, que el de Fito Páez”. (Sandra Pien)

Só agora posso dispor o poema de sábado. É do meu querido Derek Walcott, poeta e dramaturgo caribenho, nascido na ilha de Santa Lúcia (Castries, Capital de Santa Lúcia, nas Pequenas Antilhas), que foi Prêmio Nobel de Literatura em 1992. Primeiro, uma tradução (minha) ao espanhol, e a seguir em inglês, a língua em que foi escrito (perceba que bela musicalidade tem). Walcott é filho de uma mulher negra e de um britânico branco. Tem 84 anos, nasceu em 23 de janeiro de 1930, no mesmo dia que meu pai, ainda que meu velho fosse dos ’20. Esse título do poema é muito mais antigo, dos anos 60, que o de Fito Páez. (Sandra Pien)

El amor después del amor
Derek Walcott

Un tiempo vendrá
en el que, con gran alegría,
te saludarás a ti mismo,
al que llega a tu puerta,
al que ves en tu espejo
y cada uno sonreirá a la bienvenida del otro,
y dirá, siéntate aquí. Come.
Seguirás amando al extraño que fuiste tú mismo.
Ofrece vino. Ofrece pan. Devuelve tu amor
a ti mismo, al extraño que te amó
toda tu vida, a quien no has conocido
para conocer a otro corazón
que te conoce de memoria.
Recoge las cartas del escritorio,
las fotografías, las desesperadas líneas,
despega tu imagen del espejo.
Siéntate. Celebra tu vida.
(Trad. Sandra Pien)

Love After Love
Derek Walcott

The time will come 
when, with elation 
you will greet yourself arriving 
at your own door,
in your own mirror 
and each will smile at the other's welcome,
and say, sit here. Eat. 
You will love again the stranger who was yourself.
Give wine. Give bread. Give back your heart 
to itself, to the stranger who has loved you
all your life, whom you ignored 
for another, who knows you by heart. 
Take down the love letters from the bookshelf,
the photographs, the desperate notes, 
peel your own image from the mirror. 
Sit. Feast on your life.

Amor Depois Amor
Derek Walcott

Tempo virá
quando, com euforia,
você irá se cumprimentar chegando,
a sua própria porta,
em seu próprio espelho
e cada um sorrirá ao seja bem-vindo do outro
e dirá, sente-se aqui. Coma.
Você vai de novo amar o estranho que era você mesmo.
Ofereça vinho. Ofereça pão. Devolva seu coração
a si mesmo, para o estranho que amou você
toda a sua vida, quem você ignorou
por outro, que conhece você de coração.
Derrube as cartas de amor da estante,
as fotografias, as notas desesperadas,
descasque sua própria imagem do espelho.
Sente-se. Celebre a sua vida. 
(Trad. Salomão Rovedo)
Postar um comentário