sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Deu no Facebook (15/09/2013 a 15/10/2013)

O boi do Calian 
Deixar pra amanhã não é boa ideia. Foi assim que perdi o mano mais velho, Antonio, de Mato Grosso do Sul. Ele postou uma mensagem: “Quando vens ver o teu irmão? Amanhã?” Foi mal, foi chato. Tivesse eu ido e ele não faria a inevitável viagem sem combinar. Hoje recebi a visita do mano Roberto (vide fotos), de Cuiabá. Faz anos que ele vinha deixando pra nos visitar amanhã... Trouxe pequi, mel de abelha, um abraço de irmão – que foi o mais gostoso. Queria que ficasse uma semana, mas passou só alguns minutos! Por isso não deixei cantar as músicas que compõe... E porque desafina pra caralho! Boa viagem, manos! (15/09/2013)

Calian esqueceu de fazer o trabalho escolar. Um bicho feito com material reciclável. Correria geral pra consertar o esquecimento. Caixinhas de leite ao avesso, formas improvisadas, a cola acabou – vai grampo mesmo. Enfim, saiu u boi do Calian, conforme as fotos atestam. Eis o boi do Calian em carne e osso – quer dizer, em caixa de leite e grampo! (21/09/2013)

Eu tô pensando: - Adianta a gente reclamar, reclamar, reclamar das mazelas do Brasil... Pra quê? A gente faz protesto aqui e quem lê é o Barack Obama! Coitado! Ele já tá cheio de pobrema e vai ainda aturar os nossos? Ixe! Ele deve estar com a língua cansada de repetir: brazilian fuck-se, fuck-se, fuck-se! Desculpe-me facenauta, quando não respondo a uma chamada. É que enquanto faço outras coisas - escrever, por exemplo -, o face continua rolando, rolando, rolando, rolando, rolando... Xau! (24/09/2013)

A frase chave do Facebook é – O que VOCÊ está pensando? Mas não é isso o que ocorre. Entulham este espaço com frases dos outros, fotos dos outros, vídeos dos outros. Sei que os grandes homens disseram grandes coisas, mas, você que aqui é meu amigo, também é uma grande pessoa. Sei que você pensa com SUA própria cabeça! Tem SUAS próprias ideias, SUA própria arte. Não pratique auto censura, não se envergonhe de pensar o que pensa, seja LIVRE no dizer e no mostrar o que faz, com total LIBERDADE. E me mande, público ou particular, vou me ORGULHAR de ler o que você escreve, saber como e o quê você pensa! Será a felicidade suprema cada vez que ler um texto, ver uma foto, um vídeo sabendo que foi FEITO POR VOCÊ e está compartilhando comigo! (29/09/2013)

Afinal, pensando bem, ainda não tenho a mochila pronta para a grande viagem. Posto que até para a morte há preparação, vou pendurar um bilhete no Facebook:
AVISO: DONA MORTE, PASSE AMANHÃ
Depois vou sair de fininho, de esgueira, invisível – como quem não quer nada – debaixo do chuvisco intermitente vou pelas margens do sujo Rio Pimenta, cenário de mergulhos da infância ontem, vou andando até a praia do Olho D’água, ali descalço nas areias ásperas te encontro, te namoro, íntimo como ondas miúdas, bunda, seios, dunas: é teu corpo negro que amarei dizimado à beira da arrebentação, lençol de espumas sobre corpos exaustos, mas recomeçaremos, de novo, de novo, de novo... (01/10/2013)

Vejam só: os tupis consideram que os sentimentos – o amor, o ódio, a bondade, a maldade, a fé, a crença, a desilusão, etc. – residem não no coração, mas no fígado – Pia. É no fígado que está a saudade, tristeza, alegria, todas as emoções. Exemplos: Pia-rupi: de boa vontade, com todo o fígado; Pia-hi: dor no fígado, tristeza, desgraça; Pia-munjita: sentimental, com fé; Pia-katu: fígado bom, alegre,feliz. Também usamos expressões com o fígado: Ruim do fígado: mau humor, irritação; Comer o fígado: urubus comeram o fígado de Prometeu – castigo pior que a morte; Ficamos irritáveis, implicantes, impacientes e enredamo-nos em brigas por tudo e por nada: fica-se com “maus fígados”, surgem todas as dores; Desopilar o fígado: alegrar-se, estar feliz; a frase retrata a ideia de que rindo se desobstrui o fígado, livrando-o da de bile, causa do mau humor. Outros creem que é no fígado que a nossa alma mora, que o fígado controla o sistema nervoso e influencia o pensamento. Fígado ou coração? Onde está nossa alma? Onde estão nossas emoções? (07/10/2013)

Olha só o que está circulando: “Sugestão interessante. Devido à lerdeza do judiciário, por falta de meritíssimos, a presidenta poderia criar o programa Mais Juízes! Contratar juízes estrangeiros, dispensados do exame da OAB, sabatinas e demais exames. E então distribuí-los em todas as varas para julgar os gastos da Copa, das Olimpíadas, os mensalões, o dinheiro na cueca, os altos salários dos 3 poderes, o desvio de verbas e demais desvios, inclusive do Rio São Francisco, a corrupção das licitações – toda a ladroagem, enfim, da qual o Executivo e o Legislativo nunca sabem nada. Seria ótimo ver o juiz chinês (que cobra a bala do fuzilamento) e árabe (que corta as mãos dos ladrões), atuarem no país. Isso reduziria logo as pilhas de processos”. O que acha, não é uma danada de boa ideia? (09/10/2013)

Os donos das organizações Globo divulgaram um ‘pedido de desculpas’ pelo Editorial de apoio ao golpe militar em 1964. Gesto inútil. Pra quê? Não é assim que funciona: um fato histórico não se desfaz como o café solúvel na água. Aposto que o ‘jornalista’ (como o negociante exigia ser chamado) Roberto Marinho – que era responsável pelos editoriais do jornal O Globo – de modo algum não assinaria esse 'mea culpa', porque tinha convicção do que fazia. Eis a palavra chave: convicção. Se você tem convicção, se você tem fé, jamais terá que pedir perdão pelo que perpetrou. Ademais, as organizações Globo vêm repetindo todos os dias, todas as horas, aquele mesmíssimo Editorial, que permeia a diretriz empresarial do grupo, seja com outras formas, outras ações, outras palavras. De outro modo, terá que pedir perdão aos jornais, rádios e tevês aos quais sabotou, dumpeou, imitou, perseguiu, praticando preços baixos, supertiragens, etc. etc. – até que os sabotados fechassem – na tentativa de ter O Globo como único jornal do Rio. A tarde, A Notícia, Última Hora, Tribuna da Imprensa, O Dia, Correio da Manhã, Jornal do Brasil, TV Rio, TV e Rádio Tupi, TV e Rádio Continental, Rádio Nacional, Rádio JB – para citar apenas alguns – direta ou indiretamente, sofreram com a forma desleal, de terra arrasada, com que as organizações Globo atuaram. Aê, vai pedir desculpas? (10/10/2013)

Desconfio das frases feitas... Devora-me ou te decifro. Uma andorinha só não faz verão. Essas frases sempre nos deixam intrigados. Ora, tudo não passa de clichê, pseudofilosofia. A Esfinge nada mais é que um templo de pedra que, se não fosse conservado, teria virado pó faz tempo. Por causa de Sófocles, a Esfinge se transformou no misterioso labirinto que enlouquece a mente humana. Tudo bobagem – esqueçam as frases feitas, não deixe que um pensamento alheio venha infernizar a sua vida. Agora mesmo daqui da janela vejo o sol nascer, após dias com céu enfarruscado, de noites frias, vento polar. Volteando bem na minha frente vai e vem uma andorinha solitária, singela, asas típicas, as penas da cauda em forma de tesoura. Não fosse minha presença, seria sim uma andorinha só fazendo verão. As frases feitas, mesmo de aparência positiva, são um estorvo. Viver é bom, é bonito, não é um enigma, não tem mistério. (12/10/2013)

Thais Beltrame (pintora, ilustradora, artista plástica) -, tenho o livro “Leitura de escritor”, antologia organizada por Ana Maria Machado (Ed. Comboio de Corda, SP, 2009), que você ilustrou de modo magnífico. Outro um dia meu neto Calian, de 7 anos, pegou o livro e se amarrou nas ilustrações. Mas logo veio a pergunta: - Vovô, por que os desenhos só têm uma parte vermelha? Tentei explicar que foi escolha da ‘desenhista’ fazer assim... Depois percebi que ele assimilou a explicação de maneira peculiar. Bom, só quero lhe avisar que ele pegou todos os lápis de cor que tem e está ‘corrigindo’ todas as partes que você deixou 'em branco'! Abrs, felicidades em sua bela carreira! Salomão Rovedo. (15/10/2013)
Postar um comentário