quarta-feira, 18 de junho de 2008

Os japas no Brasil

GUEIXAS - A 25° edição da São Paulo Fashion Week terá como tema o Japão e a abertura do evento no dia 16 de junho será feita com uma performance de uma gueixa oiran (dançarina) feita pelo brasileiro Akito Hibiki. Ele é um dos membros do grupo Hibiki Family (hibiki é sinônimo de "vibração", no sentido de energia). A apresentação contará com a participação dos outros dois atores da companhia: Kazuma, irmão de Akito, e a japonesa Yuka. Hibiki Family fará outras quatro apresentações em São Paulo, entre elas uma demonstração de transformismo na Semana Cultural Brasil-Japão, que acontece de 14 a 22 de junho no Palácio das Convenções do Anhembi. A apresentação mostrará o processo de transformação de um ator do sexo masculino em gueixa, recurso utilizado no tradicional teatro kabuki e que recebe o nome de onnagata (intérpretes masculinos representando papéis femininos). Esta demonstração de maquiagem, figurinos e gestos do onnagata acontece no dia 14 de junho, às 19h, e integra o ciclo de palestras de Artes do Corpo na Semana Cultural Brasil-Japão.
A FAMILIA HIBIKI - Formado pelos irmãos Akito e Kazuma, brasileiros descendentes da terceira geração de japoneses, e de Yuka, japonesa nascida na província de Shizuoka, região central do Japão, o grupo Hibiky Family existe desde 2005. Desde então, vem se destacando por seus espetáculos que mesclam teatro, música e dança. O que mais chama atenção no trabalho deles é a maneira singular de divulgar a ancestral cultura japonesa com um toque diferente, o "tempero" brasileiro. Ritmos brasileiros são misturados a canções enka (música popular japonesa) em apresentações que acontecem em matsuris (festivais), onsens (estações termais), teatros, eventos e até festas infantis.
OLHARES - A curadoria do módulo ‘Artes do Saber’, é da jornalista e artista Erika Kobayashi, com a proposta de analisar os processos de integração cultural, com imagens do Japão e do Brasil. O cruzamento de olhares de três brasileiros vivendo o dia-a-dia no Japão: a escritora carioca Adriana Lisboa, Celina e Haruki - os dois últimos são personagens de seu romance Rakushisha. O título do livro foi inspirado no Diário de Saga, um dos relatos menos conhecidos do poeta japonês Basho e escolhido pela escritora como um dos pontos de partida do romance Rakushisha, publicado pela Rocco. O livro é resultado de sua tese em literatura comparada pela UERJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro. O desdobramento de anos de pesquisa e interesse despertado pela cultura japonesa resulta em Contos Populares Japoneses, que é lançado neste mês pela editora Rocco. Adriana vive atualmente em Denver, nos Estados Unidos. União das tradições orientais e ocidentais em níveis narrativos, estáticos e lúdicos. Em homenagem ao centenário da imigração japonesa, o quadrinista Bruno D'Angelo e o roteirista Ricardo Giassetti criam O Catador de Batatas e o Filho da Costureira, uma ficção baseada em fatos e cenários reais. A história de amizade entre Ikemoto, imigrante vindo a bordo do Kasato Maru, e o garoto Isidoro, descendente de escravos, é um símbolo da construção da identidade brasileira. A publicação é um verdadeiro dossiê que aborda vários aspectos e estudos sobre a imigração japonesa para o Brasil. Além de detalhado censo demográfico de 1920 a 2000, o livro tem artigos que destacam a história dos imigrantes, características da população de origem japonesa e até mesmo como esta herança influencia na educação de crianças. Alguns temas trazem o movimento inverso de migração, do Brasil para o Japão. A publicação é iniciativa do Centro de de Documentação e Disseminação de Informações - CDDI.
SUSHI - O 'Virtuose do Sushi', escrito pelo jornalista Thomaz Souto Corrêa, mostra a trajetória do sushiman mais conhecido de São Paulo e trata-se de uma das mais primorosas obras sobre gastronomia feitas no país. O livro conta com algumas receitas de Jun Sakamoto. A publicação da Editora Beï conta ainda com um ensaio em preto-e-branco do fotógrafo Cristiano Mascaro que retrata Jun em 55 imagens clicadas em São Paulo e no Japão, e o guia O Japão por Jun, um pequeno guia de restaurantes e atrações culinárias de Tóquio e outras cidades japonesas.
CERÂMICA - A ceramista Hideko Honma fala sobre seu aprendizado técnico e repetitivo tal qual o aprendizado dos ceramistas no Japão, além da incorporação do design seguido da observação do processo criativo e conceitual. Faz observações sobre a utilização prática da cerâmica como objeto utilitário, suas necessidades e também a poética que a envolve. Hideko Honma também fará a performance "A Cerâmica do Invisível", em que explora o gestual composto de movimentos redondos, circulares, aconchegantes e iluminados na dança das mãos de ceramistas. Haverá a apresentação de vídeo com depoimento da ceramista e imagens do Atelier.
http://www.centenario2008.org.br/

Postar um comentário